[Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Dom 14 Mar 2010 - 12:16

Olá caríssimos foristas.
Nas últimas semanas pude estrear Uncharted 2 e Heavy Rain. O 1º é sem dúvida nenhuma um estrondo. O modo single player tem todos os ingredientes para agradar aos aficionados das aventuras de Indiana Jones. Contem portanto com momentos de muita emoção, adrenalina e claro, humor. Eu estou neste momento no capítulo 12, e joguei o equivalente a 60 % da aventura de Drake's Fortune, ou seja, houve um incremento na longevidade e nas condições para conquistar Trofeús. O modo multiplayer é espectacular e viciante, não só pela variedade de jogos, mas pela fluidez e interactividade que este proporciona.Dentro da componente online, destacaria o modo Competitivo, onde têm a possibilidade de jogar pequenos episódios com mais 2 jogadores. Convém realçar que no passado dia 25 de Fevereiro, a Naughty Dog lançou um patch com uma lista de troféus adaptadas a este modo, que já conta com mais de 1 milhão de utilizadores. Agora percebo porque morreu aquela gente toda pelo El Dorado no 1º Uncharted. No modo Saqueador, por exemplo, que tem como objectivo transportar um tesouro do ponto X ao Y, chega a ser ridículo pela mortandade que se gera no ecrã por roubar um tesouro.

Heavy Rain por sua vez excedeu as minhas expectativas. O início serve como uma espécie de tutorial para lidar com a mecânica do jogo, mas a partir da 2ª cena a história muda completamente de intensidade, tornando-se um drama interactivo, ou seja, um drama no qual vocês participam e intervêm no rumo da história (para exemplificar na 1ª cena do jogo, podem ver televisão, beber café, ir ao jardim, ajudar a mulher,brincar com os filhos, trabalhar, ou seja, se confrontarem as vossa experiências com amigos ou familiares, certamente perceberão que fizeram coisas diferentes, e que essas coisas também produziram resultados e caminhos distintos. Atenção que não é por acaso que o jogo vem com o rótulo para "maiores de 18", o jogo é triste, psicologicamente intenso, violento e inesperado. Eu não tive oportunidade de ouvir as vozes portuguesas, mas tal como em Uncharted e God of War, é de salutar este esforço de
localizar os jogos para a nossa língua.

Crítica da Gameover
Crítica do MyGames

A Nintendo anunciou que lá para o final do ano, sairá um novo Legend of Zelda para a Wii, e que este será mostrado na próxima E3.

Sonic the Hedgehog está de regresso. Pois é, depois de muitas versões 3D frustantes, eis que a SEGA tenta colocar o ouriço azul na rota do sucesso, fazendo-o correr em cenários de 2 dimensões, mas com gráficos melhorados. Segundo li, este jogo sairá em capítulos, que estarão disponíveis para se fazer download nas lojas da PS3, XBOX360 e Wii


O conhecido jogo Dead or Alive, que aposta somente em raparigas de todas as cores e feitios e que, nesta versão, passam férias sozinhas numa ilha paradisíaca (eu sei que é surreal, mas os homens gostam destas histórias), poderá ser jogado em breve na versão PSP.


Metroid: Other M - O jogo situa-se entre Super Metroid (da já longínqua Super Nintendo) e Metroid Fusion (Game Boy Advance. Other M principia exactamente na batalha final de Super Metroid travada com Mother Brain. Destaque para o facto do jogo ser jogado tanto em 2D como em 3D, e por sua vez, na 3ª e 1ª pessoas, respectivamente.



Splinter Cell: Conviction - Jogo que pretende vir com a cara lavada, após a desilusão que foi Double Agent. Neste jogo pretende-se descobrir quais as origens de Sam Fisher. Destaque para o modo multiplayer que terá uma história e sobretudo uma jogabilidade particular, adaptada a 2 jogadores (que podem combinar tácticas ou posturas enquanto progridem no nível).


Depois do sucesso alcançado com Mafia, está praticamente a sair a aguardada sequela.


Antes de terminar, gostaria de vos disponibilizar as críticas de MyGames, Gameover, Gametrailers.com, Gamespot a Final Fantasy XIII, que saiu no passado dia 9 de Março.
A título de curiosidade o jogo chama-se Final Fantasy porque o criador Hironobu Sakaguchi desenvolveu-o para a NES (primeira consola da Nintendo), sem saber se o
jogo iria ter sucesso e, por isso, o desenvolvimento dos capítulos seguintes, poderiam ser as últimas "fantasias". Como se pode verificar, já lá vão mais de 23 anos a criar as Fantasias Finais, o que quer dizer que a receptividade foi enorme, ao ponto de esta chancela já ter conquistado vários recordes do Guiness.

Destaque para retrospectiva que a Gamespot faz de God of War, ao eleger os melhores momentos que antecedem o final épico desta aclamada saga. O capítulo final sairá na próxima quarta feira, dia 17 de Março. Neste vídeo faltou destacar o final epopeico de God of War II, que na minha opinião é muito mais divertido e recompensador que o final de God of War I.
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Eu João em Dom 14 Mar 2010 - 22:42

Acho que cada vez que falam em SEGA continuo sempre a ligar a marcar ao Sonic. É um marco da minha infancia! XD
avatar
Eu João
Membro

Mensagens : 6308
Data de inscrição : 07/01/2010
Idade : 28

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Dom 21 Mar 2010 - 23:30

Boa Noite caríssimos foristas e leitores. A partir de agora vou destacando as notícias e os vídeos que considero serem os mais relevantes. Esta semana é particularmente interessante porque serão aqui recordados grandes jogos.

Comecemos por falar da última saga de Prince of Persia, por dois motivos. Numa tentativa de revitalizar a saga, após o insucesso da sua última incursão surge agora Prince of Persia: The Forgotten Sands, que volta a centrar-se na Adaga do Tempo, e na trama que aí partir daí se desenvolveu:

Para vos enquadrar, este vídeo mostra-vos como tudo começou.


O trailer mais recente do filme, com o mesmo nome do 1º jogo da trilogia, e que conta com Jake Gyllenhall no papel principal, encontra-se aqui

Entre Sands of Time e Warrior Within (o 2º jogo da saga) houve um período de 7 anos que ficou por explicar, e o jogo The Forgotten Sands, procurará explicá-lo.


NBA Jam voltou às luzes da ribalta, agora para a consola da Nintendo. Este jogo foi extremamente popular nos anos 90, principalmente porque desobedecia totalmente às regras de jogo (não há faltas), os jogadores são caricaturados e os afundanços têm tanto de espectacular, como de impossível. Se concretizassem 5 lances consecutivos, a vossa bola ficava flamejante, e aí o espectáculo aumentava de intensidade. Um jogo sem dúvida muito divertido.


A Eidos Montreal revelou, durante a GDC 2010, o primeiro trailer da próxima dose de Deus Ex, com o sobrenome Human Revolution. O director artístico Jonathan Jacques-Bellete disse este jogo terá um estilo bem próprio, fugindo assim de outros títulos como Gears of War.
Cenários detalhados e personagens realistas são outras das características que irão misturar linhas contemporâneas, futuristas e históricas datadas do Renascimento.


Assistam ao trailer de estreia de Medal of Honor, jogo que atingiu o apogeu com Allied Assault, que tinha como nível introdutório o Dia D da 2ª Guerra Mundial, um dos marcos da história dos videojogos e da história Mundial. Desta vez a acção desenrola-se no Afeganistão, colocando-nos ao comando das tropas norte-americanas e respectivos aliados neste território extremamente perigoso pelos motivos já conhecidos.


A Konami anunciou que Metal Gear Solid: Peace Walker, sairá no dia 17 de Junho. Entretanto está disponível um novo trailer, que mostra um pouco do modo cooperativo, e a caixa europeia.
Download do trailer aqui



Pois bem, God of War III já saiu nas lojas portuguesas, e fica a garantia que o último capítulo será fechado de uma forma ainda mais apoteótica que aquela que poderão imaginar. Muito sangue, muitos deuses que ainda falta combater como Poseidon, Hades, Hermes ou claro, Zeus, o grande inimigo de Kratos, um homem que já não tem nada a perder, e que está disposto a ir até às últimas consequências para atingir o seu objectivo final, destruir o Olimpo. Saliente-se o facto de estar a ser discutido nos estúdios da Santa Monica, a possibilidade de lançar um DLC (Downloadable Content) gratuito, de uma sequência que envolvia encontros com os Titãs mas que acabou por ser cortada ao produto final por questões de espaço e tempo.
Fica aqui o Trailer que mostra algumas das vozes portuguesas (curiosamente foi no 5 para a Meia Noite que descobri este vídeo). Gosto mais da versão original do Kratos, mas está muito competente a adaptação à nossa língua.

Uma secção com trailers para a Wii (para os poderem ver terão de clicar por cima de cada um dos títulos)
Red Steel 2
- antevisão feita pela Gametrailers.com, de um jogo de acção criado a pensar no Wii MotionPlus, combinando duelos com armas de fogo e outros que dão uso a uma espada de samurai

Calling
- Shinichi Suzutani e Rin Kagura visitam a "The Black Page", um site misterioso que mostra um contador do nº de pessoas mortas após terem visitado esse site. Depois de entrar numa sala de chat do
site, Shinichi and Rin são levados para uma espécie de limbo, que se manifesta com memórias daqueles que já morreram. A única forma destas personagens se contactarem é o telemóvel

EA Sports Active - em breve sairá uma versão actualizada do jogo que tira partido do controlo remoto da Wii

Falando de números houve alguns dados estatísticos curiosos:

- De acordo com a European Interactive Advertising Association, em Portugal, 53% dos lares possuem pelo menos uma consola de jogos. Este facto só vem comprovar que a indústria dos videojogos está solvente (ainda que seja um sector onde é cada vez mais difícil inovar, principalmente porque nem sempre a inovação é aliada das vendas).

- O director do Playstation Home, Jack Buser, declarou, durante a Games Devolpment Convention, que o mundo virtual da PS3 tem já 12 milhões de utilizadores registados. Para quem não sabe, neste espaço podem interagir com qualquer pessoa Em média os usuários dedicam um hora diária ao Home e 85 % destes voltam mais que uma vez ao espaço.

- De acordo com Robert Bowling, responsável da Infinity Ward, Call of Duty: Modern Warfare 2 já conta 25 milhões de jogadores online (somando os gamers de PS3 e XBOX360).

Packs de Jogos


Sony Playstation 3 Slim - 250GB + God of War III PS3 + Heavy Rain PS3 - um pack exclusivo da FNAC, e que custa 389,99 euros


PSP Slim & Lite Pink (PSP-3000) + Hello Kitty: Puzzle Party PSP - um pack da PSP a pensar nas raparigas, e custa 169,99 euros


Última edição por Sazuky em Dom 18 Abr 2010 - 13:39, editado 1 vez(es)
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Qua 31 Mar 2010 - 1:16

Antes de mais queria pedir desculpa por não ter escrito algo durante o fim de semana.
Esta semana vou dar preponderância à Wii, comentando os jogos Red Steel 2 e No More Heroes 2.

Uma obra em todos os sentidos melhor que a anterior. A história é muito simples, um homem sem nome do Velho Oeste, pretende vingar-se daqueles que dizimaram o seu clã. Para tal necessita de uma espada de samurai que foi guardada pelo clã. O grande destaque é mesmo a jogabilidade. Apesar de haver poucos golpes disponíveis no início da aventura, com o decorrer dela vamos adquirindo novas capacidades de ataque e defesa, responsáveis por oferecerem mais charme aos constantes confrontos que polvilham os cenário. Os combates desenrolam-se a um bom ritmo e a rapidez e força com que disferem os golpes tem influência na vossa prestação, ou seja, preparem-se para ficar cansados de enfrentar adversários. Como acontecia no Red Steel de estreia, também há que dar uso a armas
de fogo, e a sua integração é muito bem conseguida, oferecendo a possibilidade de combos de ataque bem divertidos e absolutamente devastadores. A alternância entre estas e o sabre é excelente, bastando pressionar B para que os tiros dêem sinal de si e uma movimentação mais rápida do Wiimote para que a espada surja no ecrã. O jogo divide-se entre missões principais e secundárias, tendo as últimas o grande problema de se tornarem repetitivas após algumas horas horas, resumindo-se a activar torres de comunicação, explodir camiões e rasgar certos posters. No entanto é com o dinheiro que se arrecada destas missões que se podem comprar novas armas ou fazer melhoramentos às armas que possuírem, por exemplo. A acção apenas se resume a ir do ponto X ao Y, nada de muito complicado. Os gráficos e componente sonora estão bem conseguidas.

Quem gostar de uma coisa mais elaborada sugiro:

Na bizarra cidade de Santa Destroy, as batalhas até à morte são transmitidas em prime time, estando a economia desta cidade altamente dependente da mortandade que este negócio gera.No More Heroes 2 é uma história de vingança satírica, irreverente e sangrenta. Travis Touchdown é um rei sem coroa. Em No More Heroes, o nerd de animes e fã de wrestling comprou um sabre de luz pela net, e percorreu um longo caminho para se sagrar o líder da Associação dos Assassinos Unidos, tornando-se uma lenda do submundo. Só que quando o seu melhor amigo é assassinado, como resposta à chacina gerada por Travis, ele regressa à AAU para se vingar do homem responsável por este acto, que por acaso não é mais que o assassino mais procurado da cidade. Tal como o seu predecessor, este jogo baseia-se numa violência exacerbada e combates altamente sangrentos. O grande destaque de No More Heroes 2 vai para os seus rivais assassinos, sendo necessário arrumar com largas dezenas de capangas. A jogabilidade é intensa e as acções são de fácil execução. Quando enfraquecem o vosso adversário, podem fazer uma espécie de fatality (pelo que vi dos vídeos parece-me muito divertido).
Seria interessante que o encontro com estes assassinos não se resumisse a uma simples eliminação, ou seja, estes adversários podiam ter mais personalidade ou algum traço característico.No More Heroes 2 é muito mais linear que No More Heroes, a navegação é muito simples e basta apenas seleccionar o local para o qual pretendem ir. As missões secundárias são feitas em jogos 2D, muito antigos, divertidos e relaxantes (sim matar também cansa), entregando pizzas, exterminando insectos ou coleccionando lixo no espaço. Isto permite-vos acumular dinheiro para fazer melhoramentos ou comprar roupas para vestir a vossa personagem.
Os gráficos são do melhor que já passou na Wii, as vozes estão bem conseguidas e convincentes, e a banda sonora tem um ritmo frenético e louco (no fundo contextualiza-se com estilo de jogo).


Parece um pouco redutor falar de Just Cause 2 como sendo apenas um jogo de acção, mas é realmente verdade. A história não é de todo o forte deste jogo, é demasiado cliché e nota-se uma colagem a muitos filmes de acção, entre os quais James Bond (Rico, a personagem principal é um agente latino do FBI). O objectivo passa por evitar um convulsão política na ilha fictícia de Panau. Os diálogos são muito fracos, e as personagens não têm qualquer expressividade (mesmo até a própria personagem principal).
O grande enfoque do jogo é a gigantesca ilha de Panau, e todo tipo de interactividade que esta gera. As texturas das árvores, do terreno, do céu, da água, das explosões e das físicas que daí advierem são espectaculares. É impressionante o alcance dos objectos e edifícios. A longevidade está sem dúvida alguma dependente da imaginação, criatividade e destreza do jogador. Sem estes 3 elementos o jogo torna-se numa experiência frustrante. sendo o céu o limite para as maneiras possíveis de destruição do mundo e seus habitantes. Outro pormenor relevante passa pela inclusão de um para-quedas que recolhe sozinho e de um gancho que traz no braço, recarregável e sem limites (este tem o particular destaque de aumentar as doses de diversão, podendo por exemplo usar uma pessoa como se fosse um reboque de um automóvel).
Embora haja armas com fartura (e sendo estas mais ou menos eficientes), muito do divertimento passa pela realização das missões secundárias do jogo. Ao realizá-las arrecadam dinheiro para fazer melhoramentos em armas ou em veículos.Just Cause 2 é um jogo de mundo aberto que basicamente diz sim a tudo, ou seja, não há restrições de exploração do espaço, veículos (no total existem 104 ao nosso dispor) ou inúmeras formas de resolver as diversas situações, de uma forma mais ou menos criativa. Quem estiver interessado em divertir-se e passar um bom bocado a destruir coisas, este é um bom jogo. Quem preferir uma coisa mais elaborada, não será a melhor opção no mercado.

Notícias

- A Sony anunciou o lançamento de God of War: Collection para a Europa. Para quem não sabe trata-se de uma edição que junta os dois primeiros capítulos da saga, remasterizados para a PS3 (e com troféus incluídos), e custa 39,99€. Quem preferir, poderá adquirir toda a trilogia, por apenas 89,99 € (e God of War III fica apenas por 50 €)


- O responsável da Microsoft explica,
numa entrevista dada ao site Kotaku, que não é necessário ter uma sala de grandes dimensões para usufruir do Project Natal, como havia sido dito há pouco tempo.
“É verdade que sensor de Project Natal lê a configuração do teu quarto e adapta-se ao ambiente de jogo. Nós sabemos que há salas de estar com as mais variadas formas e feitios, e realizámos inúmeros testes para garantir que toda a gente se levante do sofá e se divirta quando Project Natal sair este Natal.”
Esta é uma forma inovadora de jogar, que capta todos os movimentos corporais, e adapta-os a cada jogo em particular. Por exemplo se pensarem num jogo de automóveis, o conceito passa por conduzir um carro virtual, da mesma forma que conduzem na realidade. Também tem uma componente de entretenimento e comunicação originais. Podem seleccionar conteúdos de vídeo, sem usar quaisquer comandos, de uma forma simples e intuitiva.

Vídeos

Spiderman: Shattered Dimensions - um jogo que vai buscar grande parte da inspiração a Batman: Arkham Asylum. Confesso que continuo a gostar mais da versão amazing do Homem-Aranha, mas pode ser desta que a Activision faça um bom jogo deste super herói (se tiver uma boa história, e se esta estiver bem integrada em Nova Iorque, pode vir a ser um bom jogo)


Tom Clancy's Splinter Cell: Conviction - já falei dele em posts anteriores, mas fica aqui o trailer de lançamento do 5º jogo da franquia (a voz do Sam Fisher é realmente boa)


Vídeo de Abertura de Super Street Fighter IV - muito mais fixe que o do jogo original, principalmente por causa do Ryu e do Ken.

Agora passando para o futebol mostro-vos dois vídeos:

Pure Football - a aposta da Ubisoft, que tem como premissa juntar os melhores jogadores das selecções nacionais para disputar uma partida, à qual o árbitro não tem lugar. Quem jogou FIFA Street vai apreciar este jogo.


Um vídeo absolutamente fantástico, com golos marcados no jogo FIFA10, no modo online. De realçar que online é muito mais difícil executar algumas das coisas que surgem neste vídeo, porque há sempre lag nas partidas (nem toda a gente tem uma net relativamente estável)
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Eu João em Sex 2 Abr 2010 - 0:08

Alguém tem a Wii Fit?? Aquela coisa para fazer exercicio...LOL

_________________

Leia a entrevista, aqui!


VISITE O SITE DO FANTASTIC, AQUI!
avatar
Eu João
Membro

Mensagens : 6308
Data de inscrição : 07/01/2010
Idade : 28

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Sex 2 Abr 2010 - 13:02

Eu não tenho, mas sei que já há nutricionistas (não sei se a nível nacional), que incluem nas suas dietas o uso do Wii Fit como complemento para reduzir o controlar o peso. Inclusivamente, na minha última crónica do outro fórum (e que está no site), há uma notícia que se reporta ao Wii Fit.
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Dom 18 Abr 2010 - 13:38

Pois é, hoje têm muitas curiosidades e conteúdos para consultar nesta crónica. Espero que gostem, e comentem o que vos proponho.

Comecemos pelas Notícias:
Na sequência do lançamento de Final Fantasy XIII em território francês, Yoshinori Kitase e Motomu Toriyama declararam que poderá haver uma sequela, caso o jogo tenha sucesso no Ocidente. Isto porque há interesse da parte dos seus responsáveis, em focar toda a atenção possível ao enredo, reaproveitando o universo e os sistemas de jogo.

Motomu Toriyama, admitiu ao site Siliconera, que se fizesse (e pudesse, claro) um remake, gostaria de fazer que fosse o de Final Fantasy VII. "Se tivéssemos os recursos humanos e o tempo para trabalhar num projecto, se refizéssemos Final Fantasy VII com a qualidade de Final Fantasy XIII seria um grande projecto," continuou. "Se conseguirmos arranjar o número de pessoas que precisamos, então sem dúvida esse seria o jogo que eu gostava mesmo de refazer."

A LEGO e a Warner Bros estenderam a sua parceria até 2016. É o estender de uma relação profícua, não só pelos jogos divertidos e bem dispostos que foram lançados (desde Indiana Jones, passando por Star Wars ou Batman), mas também pela força de vendas, com um total de 50 milhões de euros até hoje acumulados.


No dia 5 de Março saiu a nova consola da Nintendo, chamada DSi XL (vídeo em detalhe aqui. Apenas as características "visíveis" do modelo DSi foram aumentadas, com destaque para as maiores dimensões do ecrã (4.2 polegadas), mais 100 gramas de peso, uma caneta maior e mais fixe e dois jogos incluídos (Brain Training: Arts Edition e Dictionary 6 in 1 with Camera Function). Há duas cores, castanho escuro (a versão que tive de prenda) e vermelho vinho. Tenho os jogos Legend of Zelda, quer Phantom Hourglass ,quer Spirit Tracks. Ao experimentar os jogos, o que mais me supreendeu foi o facto de precisar apenas e só do estilete/caneta para jogar (não sei se está bem integrada noutros jogos, mas é uma característica inovadora e interessante). Outra coisa curiosa é que podem pousar a consola numa mesa, e jogar de uma forma descontraída, sem ter de pegar nela, ou seja, passa a ser uma espécie de consola semi-portátil.

Entrevista ao Relações Públicas da Nintendo na Península Ibérica aqui

Quentin Tarantino referiu ao Telegraph que não consegue interessar-se por videojogos. "Deram-me consolas e apenas estão ligadas à televisão a ganharem pó até que as troque por um leitor DVD de região especial" No lugar dele também não me interessava, mais ainda se conseguisse realizar e produzir filmes tão conhecidos e marcantes como Kill Bill ou Pulp Fiction.

A Playstion Store tem disponível desde o o dia 16 de Abril os episódios extras de GTA IV, The Lost and Damned e The Ballad of Gay Tony, custando cada um deles 17.99€. Quem quiser jogar os dois em episódios conjuntamente, pode comprar Grand Theft Auto: Episodes From Liberty City, tal como havia acontecido com a consola da Microsoft.

Hideo Kojima revelou num tweet recente que “o próximo projecto vai desafiar um certo tipo de tabu. Se fizer asneira, eu provavelmente tenho de abandonar a indústria.” No entanto, eu não quero fintar este obstáculo. Eu faço este ano 47 anos. Já são 24 anos, desde que comecei a fazer jogos. Hoje, eu tenho um aliado que me apoia avidamente nesta manobra arriscada. Embora seja apenas uma pessoa, já não é mau para começar"
Tem havido rumores que o novo projecto de Kojima seja Zone of the Enders 3, um jogo em que controlavam um robô, ao estilo de Voltron ou Vandread.


No início do mês de Junho, a Sony colocará à venda nas lojas, o modelo HX803 da Bravia, a grande aposta no mercado de televisores a 3 Dimensões. Quem adquirir um dos um modelos HX803/HX903/LX903, receberá gratuitamente um código para fazer o download, na PSN, da versão 3D estereoscópica dos seguintes títulos PS3: WipeOut HD, MotorStorm: Pacific Rift, PAIN e Super Stardust 3D. Andrew House, presidente da Sony Computer Enternainment Europe referiu que a Sony não só "comanda claramente todos os aspectos das três dimensões", como também enaltece que esta é a única que "consegue oferecer um nível de entretimento em 3D"

Vídeos:


Assistam ao fantástico trailer de Crysis II, um jogo que usa e abusa dos gráficos e dos PC's (penso que não há nenhum PC de alta gama que suporte os requisitos máximos do jogo). Desta vez a acção passa-se em Nova Iorque, que se encontra ocupada por alienígenas. A única esperança da Humanidade reside num conjunto de soldados com características especiais. Algumas das capacidades da vossa personagem foram revistas e aumentadas, principalmente por que o contexto em que jogam é completamente diferente. De uma ilha paradisíaca passam para uma metrópole, ou seja, não só as ameaças serão diferentes, como as vossas acções forçosamente serão diferentes (podendo trepar e saltar para prédios e arranha-céus, correr pelas ruas (ou pelo rio) a velocidades supersónicas e capacidade de tiro aumentada). Esperem então por uma cidade completamente diferente do habitual, despida de pessoas e praticamente devastada.


Podem fazer o download do vídeo aqui

Outro jogo que vai estar certamente em voga é Blur (podem ver a preview feita pela Gametrailers.com aqui). Dos criadores de Project Gotham Racing, este jogo vai buscar inspiração a vários jogos de sucesso. As corridas desenrolar-se-ão a um ritmo alucinante, mas com a agravante de disporem de uma série de turbos que vos permitem obter vantagem relativamente aos vossos adversários (podendo mesmo ser decisivos na atribuição do título de vencedor). Há mais de 50 carros à vossa disposição, e muitos deles oficiais e com sistema de danos incorporado. A grande novidade relativamente a outros jogos do género é a sua relação com as redes sociais (não se sabe se o Facebook vai entrar no "jogo"). No caso do Twitter podem planear corridas com outros amigos e jogadores, ou podem deixar os vossos adversários com ciúmes, com os resultados que obtiveram em determinada pista.

Outro grande jogo, a sair no dia 21 de Maio, é Red Dead Redemption, da Rockstar Games, produtora de GTA, e sequela do jogo Red Dead Revolver. O jogo passa-se no início do século XX, e retrata a vida de um foragido chamado John Marston. O governo concede a possibilidade de Marston se redimir, matando ou capturando os seus membros do gang, entre eles o seu amigo de longa data e respectivo líder Bill
Williamson. Se não o fizer, a sua família é que sofrerá as consequências. O jogador tem assim um mundo vasto por explorar, ao estilo de GTA, mas numa perspectiva completamente diferente. O ambiente é o típico de um filme western, com cidades (habitadas ou fantasma), desertos, pradarias, ranchos ou montanhas. Há cerca de 40 animais que podem ser caçados como coiotes, ursos, bisontes, cobras, alces, veados, abutres patos, etc. A jogabilidade centra-se em duelos de tiros, captura de carroças, entre outras actividades.


Vídeo de True Crime, que terá como pano de fundo Hong Kong e, mais uma vez, Jet Li. Será que depois de jogos como Assassin's Creed, GTA ou mesmo Red Dead Redemption, há espaço para mais um.

Novo jogo para a Wii, Super Mario Galaxy 2

Depois de muitos avanços e recuos, no próximo dia 23 de Abril sairá o jogo Dead to Rights: Retribution. Jack Slate e o seu fiel amigo lutam contra o crime na intensa e perigosa cidade de Grant City. Desta vez o cão não é treinado pela polícia, mas sim um rafeiro. Este animal é menos disciplinado, mas importante no desenrolar da acção.

Página do site Gametrailers.com dedicada ao jogo Skate 3. A demo já está disponível nas lojas da PS3 e XBOX 360

Vídeos Curiosos:

E se o Mundo fosse invadido por pixels e por jogos que marcaram o início dos videojogos, como estaria? Vejam este fantástico vídeo


Um vídeo amador, feito por fãs de Modern Warfare. Vale a pena ver, principalmente tendo em conta que com pouco orçamento, saiu um produto de qualidade.


Vejam a forma como Bruno Senna, sobrinho de Ayrton Senna, o piloto de Formula 1 que morreu em 1994 na pista de Imola usa Modern Warfare 2 para realizar uma série de tarefas.


Vejam aos olhos de Jordan Mechner, criador do jogo Prince of Persia, o filme que tem estreia marcada para o dia 27 de Maio

Loja:

Quem não comprou o jogo Resident Evil 5, tem agora a possibilidade de o fazer por apenas 39,99 €, adquirindo a versão dourada, ou seja, com todos os conteúdos de download disponibilizados online.


Provavelmente houve um engano por parte da FNAC, mas o jogo Dragon Age: Origins para PC, custa apenas 19,99 €, sendo que a sua expansão se fixa nos 39,99 €.
De qualquer modo, vale sempre a pena aproveitar esta oportunidade.
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Eu João em Dom 18 Abr 2010 - 22:31

Que me desculpem que tenha, mas a Nintendo portátil assim como alguns jogos que passam em publicidade na Tv são horriveis.

Nã sei como é que alguém compra aquilo. XD

_________________

Leia a entrevista, aqui!


VISITE O SITE DO FANTASTIC, AQUI!
avatar
Eu João
Membro

Mensagens : 6308
Data de inscrição : 07/01/2010
Idade : 28

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Ter 18 Maio 2010 - 1:29

Esta semana vou partilhar-vos a minha experiência enquanto jogador, e mostrar-vos montes de novidades, para compensar o tempo que fiquei por escrever e dar-vos alguma satisfação.

Há cerca de de 2 semanas, terminei Uncharted 2: Among Thieves, em modo difícil. A história está muito bem articulada tem muita consistência. A acção tem como ponto principal a suposta existência da pedra de Chintamani, uma espécie de Santo Graal dos budistas. Alguns apontamentos que Marco Polo fez durante as suas explorações, são o mote para mais esta aventura de Nathan Drake. O grande problema para mim é que a partir de certo ponto, a história desenrolar-se-à num grande cenário, o Tibete. Há por isso, na minha opinião um exagero de níveis de neve (até porque 1º capítulo, ainda que introdutório, começa num cenário branco). Ainda assim este jogo garante aos jogadores grandes momentos de acção explosiva e frenética e humor inteligente, rivalizando com qualquer filme de Hollywood. Eu destacaria o nível do comboio como um dos melhores alguma vez feitos para as consolas da nova geração (até porque, neste caso, o cenário está constantemente a mudar).
As novas personagens são muito interessantes: novos inimigos, como Harry Flynn "ex-parceiro" de Nathan Drake, que cumpre ordens do grande inimigo do jogo Zoran Lazarevic, um homem impiedoso, vil e com muitos recursos para encontrar a Pedra de Chintamani; e uma nova "amiga", de seu nome Chloe Frazier, uma versão feminina de Drake, corajosa,destemida e, acima de tudo, muito bonita.
Os gráficos são realmente muito bons, não só por serem muito coloridos e cobrirem cenários vastos e amplos, mas também porque há poucas diferenças entre as sequências de jogo e as secções de visionamento.
A componente sonora é muito melhor que o seu antecessor, principalmente na banda sonora. Os actores que dão corpo às personagens representaram com muita competência os seus papéis (eu gosto particularmente do sotaque da Chloe)
O multiplayer é fantástico. Há muitos modos de jogo, desde deathmach, caça ao tesouro, conquista de territórios, até ao modo cooperativo, segmento onde jogam em pequenos cenários do jogo com mais 2 jogadores. A inclusão de troféus nos novos conteúdos veio tornar ainda mais atractivo este segmento de jogo.


Vou falar-vos de um jogo que já saiu há já alguns anos. Desde o Gameboy que sou fã de Legend of Zelda.
Não liguem muito ao que as críticas dizem, no que toca a duração do jogo. Isto porque já vi sites que diziam que Legend of Zelda: The Phantom Hourglass demorava 20 horas. Eu já perdi a noção do tempo que estou a jogar, mas para quem gosta realmente de Legend of Zelda, ou seja, quem queira ficar com o máximo de vida possível, ou quem queira obter os bónus mais raros, certamente demorará mais que 20 horas.
A introdução do Stylus é fantástica. Confesso que no início estava um pouco reticente, pois não me imaginava a usar uma caneta, ou bufar para o ecrã, para apagar umas velas. Mas as aplicações dos diversos itens estão muito bem integradas (como é o caso do boomerang, em que podem desenhar a trajectória do objecto com as voltas que quiserem), e acaba por ser bastante intuivo e pefeitamente adequado.
A história principia pouco depois do final de Wind Waker, para a Gamecube. Link na companhia de Tetra (uma reicarnação da Princesa Zelda) e os seus fieis piratas, embarcavam numa nova aventura pelo vasto oceano. Só que a passagem de um barco amaldiçoado veio estragar a ordem de toda uma região. Tetra é raptada, e Link afasta-se dos seus companheiros, na tentativa de reaver a sua amiga.
Os gráficos estão muito bons, com a possibilidade de poder tirar notas no mapa, e recorrendo aos dois ecrãs, quando se luta contra um boss. Como é apanágio dos Zeldas, os bosses têm uma fraqueza associada ao item que se apanha na masmorra. Não é este facto que os torna mais fracos, é importante perceber como de comportam. para poder atacar da melhor forma.
As músicas e os sons ser-vos-ão familiares com o estilo próprio de Legend of Zelda.
Ainda não cheguei ao fim, mas estou muito satisfeito com o jogo.

Já tenho o troféu de platina de Heavy Rain. É sem dúvida uma experiência fantástica. Quem gostar de policiais, e ainda por cima interactivos, vai certamente gostar deste jogo. O trabalho dos actores que deram o corpo e voz às personagens é fantástico, muito credível e bem interpretado (a actriz Jacqui Ainsley, que interpreta a encarna a personagem Madison Paige, para além de ser muito bonita, foi vista na companhia de Guy Ritchie, o ex da Madonna). A banda sonora é soberba, principalmente porque surge em momentos-chaves da cena. Os gráficos das personagens são extremamente realistas (pese embora que o dos tecidos das roupas, e mobiliário já carecer de algum detalhe).
Assistir aos diferentes desenlaces é aliciante, e nada maçador. Sugiro que joguem a história toda 3 vezes, para depois experimentar alterar cenas fracturantes, por forma a assistir aos diferentes finais (na prática há muito mais que 20 finais, mas se virem 18 epílogos diferentes, ganham o troféu de ouro, mesmo que tenham feito saves diferentes).
Para mim o troféu mais difícil e, diga-se, o mais estúpido é o Rés Vés Campo de Ourique (Kamikaze na versão original), onde têm de ir pelo caminho onde estraguem o menos possível o carro ao longo da auto-estrada. O troféu é estúpido, porque no fim o carro explode na mesma, mesmo que tenham conduzido de forma sublime. Quem tiver o jogo e precisar de ajuda, é só perguntar.

Um estudo feito pela companhia Nielsen veio revelar que o leitor de Blu-Ray é um dos principais motivos por que os consumidores adquirem uma PS3. Das 700 pessoas que responderam ao inquérito, que permitia escolher até
cinco opções, 65% apontaram para o leitor de Blu-Ray, 63%
afirmaram que queriam comprar a consola devido à recente descida de
preço, e 62% disseram que queriam ter acesso aos jogos que esta
oferecia, sendo God of War III o principal "suspeito".

A Sony mostra-se desiludida com as vendas da sua portátil.
O director executivo e financeiro da Sony considera a PSP uma decepção para a empresa. Em causa está, a pronunciada das vendas da portátil durante o último ano fiscal, tendo vendido cerca de 9.9 milhões de unidades, enquanto que durante o mesmo período do ano anterior tinha atingido os 14.1 milhões de unidades. «A PS2 está a caminho de fazer onze anos e continua a impressionar-nos. Este ano, a PSP foi uma pequena decepção para nós», disse Bill Glaser numa reunião de investidores.
Em consequência disto, parece que a Sony voltou a virar os focos para a sua consola portátil, com uma série de títulos anunciados.

God of War: Ghost of Sparta foi anunciado para a PSP. Neste Kratos terá confrontar os fantasmas do seu passado, se prepara para ficar com trono de Deus da Guerra, que estava vazio após a morte de Ares.

Está também confirmada a saída de Yakuza para a consola portátil da Sony. No entanto ainda se desconhece quando é que o jogo sairá em solo nipónico.

De acordo com a Square Enix, Kingdom Hearts: Birth by Sleep aterra nas PSP europeias a 10 de Setembro. O jogo já saiu há quase meio ano no Japão, mas não deixa de ser mais um grande jogo para a consola.

Podem fazer o download do novo vídeo de Metal Gear Solid: Portable Ops aqui

E o trailer de F.3.A.R aqui

No passado dia 21 de Abril, o jogo Modern Warfare 2 arrecadou mais um recorde do Guiness. Depois de ter sido proclamado como o "jogo mais jogado online", passou também a ser o jogo que mais vendeu no dia de lançamento. 401 milhões de dólares foi a quantia acumulada.

Segundo Syed Bilal Tariq, Marketing Manager da Microsoft na Arábia Saudita, ficou-se a saber que Project Natal sairá no mês de Outubro.


Jason Bradbury, um dos apresentadores de The Gadget Show publicou um tweet revelador. Segundo o próprio, Setembro será o mês em que Playstation Move, o novo controlador a Sony para a PS3 chegará às lojas. "Estou certo disto," afima Bradbury. O comando, como podem verificar, é muito parecido com o da Wii. Claro que depois do anúncio de Project Natal, a Sony viu-se forçada a investir nesta vertente. Aliás tem havido uma troca acesa de argumentos e provocações entre a Sony e a Nintendo, principalmente com questões de jogabilidade, precisão na execução das tarefas, e mesmo até a segurança das televisões (para evitar que se parta o ecrã da TV, a Sony colocou uma bola de plástico na ponta do comando).

A Capcom prometeu aos jogadores uma novidade bombástica para a E3. Muito se tem falado que esta bomba poderá ser Devil May Cry 5, que está a ser produzido pela Ninja Theory, a companhia que lançou um dos primeiros títulos para a PS3, Heavenly Sword.

No dia 20 de Abril, a Capcom veio tornar oficial e pública a produção de Marvel vs Capcom 3, um dos grandes ícones da luta a 2 dimensões (pessoalmente gosto mais de Capcom vs SNK, principalmente por causa de Fatal Fury). O jogo sairá algures na Primavera do próximo ano e terá pelo menos 30 personagens. No entanto, a Capcom referiu que este jogo iria ter uma das maiores listas de combatentes alguma vez vista. Se virmos bem, Marvel vs Capcom 2 tem 52 personagens, é possível esperar que esse limite seja superado. Para além do anúncio na imprensa, a Capcom também lançou material promocional que conta com variadas imagens dos personagens que marcam presença no trailer. É possível ver alguns dos nomes daqueles que poderão ser os personagens correspondentes à silhueta. Captain America, Super Skrull, Chun-Li, Deadpool, Felicia, Frank West, Mephisto, Black Widow e Doctor Doom são alguns
dos palpites (uns mais legítimos, outros menos) de alguns personagens novos e reincidentes. No entanto, se estes palpites se confirmarem, o tão esperado Dante de Devil May Cry irá entrar pela primeira vez num crossover desta envergadura.


No Qore PS3, magazine online interactivo da Sony, foi anunciado o lançamento de LittleBigPlanet 2, sequela de um dos jogos mais originais de sempre, e que aposta numa expansão da comunidade e no fortalecimento da relação entre jogadores e criadores, com mais conteúdos e cenários por explorar.


Realmente o nome do jogo ajusta-se na perfeição. Surgiu há pouco mais de um mês um vídeo alusivo à mais longa novela dos videojogos (10 anos é muito tempo), de seu nome Duke Nukem: Forever.


Assistam aqui ao fantástico trailer de Okamiden, a sequela do bem sucedido Okami, que passou pelas consolas PS2 e Wii. Desta vez o deus canino é um cachorrinho que tal como Okami, terá de descobrir e aprender novos poderes, por forma a combater a escuridão que invadiu novamente Nippon. O curioso é que o estilete da Nintendo DS será certamente explorado ao máximo, pois o pequeno animal pode chamar o vento, o sol, ou as estrelas com um simples pincelar. O jogo sairá na Europa apenas em 2011.


Novo vídeo de Super Mario Galaxy 2


Mais um filme feito por fãs, que só vem mostrar que com pouco dinheiro, faz-se muito mais e consegue-se ser mais criativo que grandes estúdios de cinema.


Para não vos maçar muito coloco aqui uns artigos interessantes (se os colocasse aqui, seria demasiado texto, não é preguiça):
- How To Protect, Not Isolate, Your Child From Online Gaming

- Como entrar na indústria portuguesa de Videojogos

- Top 10 Necessary Sequels

- Divisão de jogos contribui para excelentes resultados da Microsoft

- Nintendo: Um 2009 em grande

- Nintendo amiga do coração
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Ter 15 Jun 2010 - 1:28

Pois é, estou de volta para vos dar conta do que aconteceu no passado mês de relevante no mundo dos Videojogos.
Para celebrar o aniversário deste distinto fórum proponho que façamos também uma viagem no tempo, para averiguar quais foram os jogos que estiveram em destaque nos últimos anos (atenção que é uma opinião da pessoa que fez a edição, e pode não ser necessariamente a minha ou a vossa opinião).

- Melhores Jogos de 2006


- Melhores Jogos de 2007


- Melhores Jogos de 2008


- Melhores Jogos de 2009 (o God of War já é deste ano, e o Bioshock também)



Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 2
- o jogo da CyberConnect 2 e da Namco Bandai volta na versão Shippuden, acompanhando assim os últimos acontecimentos do anime. Este vídeo, para quem gosta do anime e do manga, pode conter spoilers (sobretudo no início). Eu tive sorte que já vi essa parte, ainda que esteja cerca de 25/30 episódios atrasado.


Killzone 3
apresenta-se neste trailer, fixe e curto. O jogo começa imediatamente depois de Killzone 2, com a morte do ditador Helghast Visari a cargo dos soldados Sev e Rico, e com uma bomba atómica que dizimou as forças ISA. A experiência de jogo terá proporções muito maiores em termos de escala, com mais inimigos, um novo sistema de combate corpo-a-corpo e mais localizações (como níveis de neve). A Sony dotou este jogo com o mais que falado 3D, anunciado por James Gallagher, Produtor de Conteúdos da SCEE.



Para celebrar o início do Campeonato do Mundo de Futebol, mostro-vos um trailer bem divertido sobre os festejos novos do jogo oficial desta enorme competição, que já saiu há algum tempo.


Podem participar no realizado pelo site d'A Bola aqui

Notícias
De acordo com um estudo da Niko Partners, o número chineses a jogar videojogos pode aumentar em 100 milhões durante os próximos 2/3 anos. As receitas deste mercado atingiram em 2009 cerca de 4.61 mil milhões de dólares, um aumento de 28% relativamente a 2008. Para além disso a Niko Partners adianta que estas receitas advêm sobretudo de jogos sociais em rede, títulos casuais e de jogos multiplayer online. Títulos das consolas e portáteis têm um contributo tímido e pouco relevante, isto porque a legislação é ainda algo apertada. O estudo diz ainda que o uso dos PCs para jogar em casa está a subir com os cafés a serem agora preferidos para competições e entretenimento social. Apesar da legislação apertada, a actual geração de consolas está a começar a ser adoptada na China e os antigos formatos a serem abandonados.

Sonic Adventures, um dos marcos nas plataformas a 3 dimensões, poderá vir ter um remake HD para as versões da PS3 e XBOX360. A SEGA ainda não confirmou este suposto lançamento.

Quem quiser experimentar a versão beta de FIFA Online, pode fazer aqui

Reportagens Especiais (cliquem para visualizar)

FarmVille perde 7.7 milhões de utilizadores
Uma reportagem que responde à pergunta "Será que tu deves comprar uma Playstation 3 ?"

Como já devem ter percebido, começou hoje o grande evento mundial E3, a maior feira de videojogos do mundo, onde há inúmeras novidades. Ainda vou actualizar esta crónica com o meu comentário ao jogo Super Mario Galaxy 2, que recebeu do site Gamespot a distinta classificação de 10.
Portanto nos próximos dias, os meus posts terão uma tónica completamente diferente, apenas com a apresentação de notícias ou vídeos que me agradem.
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Ter 15 Jun 2010 - 13:41

Ola a todos. Como prometido aqui fica um lamiré da Electronic Entertainment Expo, mais conhecida por E3, a maior feira do Mundo no que toca a Videojogos. De notar o facto desta feira ter perdido há uns anos alguma da vitalidade que a marcava. No entanto parece agora apostada em reocupar essa força que havia perdido.

A Microsoft anunciou que o seu novo periférico para detecção de movimentos deixou de se chamar Project Natal, para ficar com o nome de Kinect, sendo que o 1º título a ser lançado com este suporte é Kinectimals, título onde iremos jogar com mascotes felinas como leões, leopardos e tigres. Outro é Joyride, jogo de corridas no qual usaremos um volante imaginário graças aos movimentos das mãos.Da lista faz ainda parte Kinect Sports, um mix de modalidades onde marcam presença boxe, bowling, vólei de praia, corridas, futebol e ténis de mesa, o equivalente a Wii Sports, e também Kinect Adventures, jogo destinado aos adeptos dos desportos radicais, onde não faltam o rafting e corrida de obstáculos.

A apresentação serviu ainda para confirmar novos jogos da LucasArts e da Disney compatíveis com o Kinect. Ao que tudo indica, Kinect poderá chegar às lojas em Novembro.

Front Mission: Evolved - jogo que resulta de uma colaboração profícua entre a Double Helix e a Square-Enix, companhias americana e japonesa, respectivamente. O jogo será uma espécie de Valkyria Chronicles, um jogo de estratégia, em que podem comandar os vossos robôs pelo cenário de combate, de uma forma altamente interactiva e dinâmica.Os trailers falam por si, de qualquer forma apraz-me dizer que este poderá vir a ser um dos grandes hits deste ano.


A Ubisoft anunciou o lançamento de Assassin's Creed 3. De acordo com o clip em questão, a acção decorre em Roma no ano de 1503. Façam download do clip aqui

O jogo de basquetebol da EA Sports, passa a chamar-se este ano NBA Elite 11. A grande preocupação dos produtores passou por corrigir bugs e a postura dos jogadores, muito criticada pelos jogadores. Façam download do vídeo aqui

Quem gostar de Call of Duty, mesmo sabendo que grande parte da equipa se desmantelou após Modern Warfare 2 ter sido lançado, pode fazer aqui o download de um remix do trailer de Call of Duty: Black Ops, remix esse que tem "Won't Back Down", de Eminem, como música de fundo.Como ontem foi anunciado, a Xbox 360 terá direito a exclusivos temporários dos conteúdos extra do franchise. Esta parceria com a Activision estará em vigor até 2012.

Quem for fã de Star Wars, vai delirar com a sequela de Force Unleashed, e com este trailer. O primeiro jogo da saga, acompanhava o percurso de um aprendiz de Darth Vader.

Novíssimo trailer de Gears of War 3, onde se espera que a intensidade e a adrenalina proliferem.


Mas uma das estrelas da conferência da Microsoft, foi Metal Gear Solid: Rising. Eu apenas sei que o jogo acompanha a vida de Raiden, personagem que teve a sua estreia em Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty. A premissa do jogo é curtar qualquer coisa, seja qual for a vossa vontade.


Amanhã farei outro post, destacando alguns regressos como Driver e Rayman, e mostrando um pouco dos jogos que provenham da conferência da Nintendo.

avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Dom 19 Set 2010 - 12:57

Olá caros foristas. Esta semana trago-vos muitas novidades e falarei de 4 jogos, dois que experimentei e os outros dois que estão para sair.


Metal Gear Solid: Peace Walker, é o 2º título da Konami a sair para a consola portátil da Sony. Neste jogo voltam a controlar Big Boss, que no início da incursão, treina um conjunto de homens (os Millitaires San Frontieres, já referenciados noutros jogos) numa praia da Colômbia. É desse conjunto de indivíduos que Big Boss construirá a chamada Outer Heaven, local onde anos mais tarde será derrotado por, Solid Snakem protagonista dos 1º, 2º e 4º capítulos. O jogo oferece inúmeras oportunidades e muitas horas de jogo. Oportunidades porque, para além da história principal, que é cativante, altamente recompensadora e interactiva (as sequências animadas são fantásticas), podem gerir o pessoal da vossa Base de Operações, seja do ponto de vista militar, alimentar (para manter a moral em alta), médico (tratar de soldados feridos), mecânico (Investigação e Desenvolvimento de armamento) e mesmo de espionagem (criação de gadgets como óculos de visão nocturna), literalmente um exército sem território. A partir daí podem mandar soldados em escaramuças, ou para missões secundárias. Enquanto que em Portable Ops, tinham de arrastar os vossos futuros membros, aqui o sistema é muito mais simples, bastando apenas seleccionar o item Fulton Recovery System, que o prisioneiro ou soldado é imediatamente recolhido para a Base. A jogabilidade adapta-se perfeitamente à consola, retirando algumas características já apresentadas em Metal Gear Solid 4. O que mais gosto é do CQC (acrónimo de Close Quarter Combat), que vos permite interrogar, esganar ou arremessar um ou mais adversários. Há portanto um claro incentivo a passar as missões sem accionarem o modo de Alerta, e preferencialmente usando o CQC. O aspecto sonoro é excelente, não só da banda sonora, mas também dos actores que emprestam as vozes às personagens (as personagens novas são muito curiosas e completamente distintas umas das outras).
Sem querer revelar muito da história, queria apenas dizer que este jogo passa-se na década de 70, altura em que a dissuasão nuclear e a Revolução de Cuba, encabeçada por Che Guevara (mais conhecido por el Che nos países da América Latina), eram os principais temas numa altura conturbada do Mundo. Quem tiver uma PSP e gostar de Metal Gear, a compra é mais que obrigatória, diria mesmo essencial.


Outro jogo que tive oportunidade de experimentar, foi Dragon Quest IX: Sentinels of the Starry Skies. Provavelmente o melhor jogo do ano da Nintendo DS, Apesar de se tratar de um típico RPG asiático por turnos, a verdade é que dispõe de características que a nos agradarão a nós ocidentais muito, Em primeiro os combates deixam de ser aleatórios, ou seja, os adversários são visíveis e, claro, são evitáveis. E mesmo que queiram lutar para aumentar o nível, não há grande necessidade de o fazer, até porque poderão superar os obstáculos com alguma naturalidade.
Outra das grandes novidades, é que a criação de personagens. Para além dos atributos físicos, como cor dos olhos e cabelos, também o armamento é que irão usar ao longo do jogo é distinto. Como o trabalho de arte está a cabo de Akira Toriyama (criador de Dragon Ball e Bleu Dragon), podem por exemplo por um cabelo de Super Guerreiro, com olhos de Trunks.
Os combates realizam-se ao estilo clássico de turnos, sendo a experiência acumulada diferente consoante o nível de cada membro do grupo. As mecânicas são introduzidas de uma forma faseada e a história é cativante. Como qualquer jogo Dragon Quest, o nº de horas é proporcional à atenção que o jogador estiver disposto a dar. A sonoplastia é fantástica, com um leque de músicas divertido e emocionante, tocadas por uma orquestra.


Aproxima-mo-nos a passos largos do final de Setembro/início de Outubro, com o já muito aclamado duelo FIFA vs Pro Evolution Soccer. E perdoem-me os fãs, mas o 1º volta a ganhar o duelo. Eu tive a oportunidade de experimentar os dois, e passo agora a explicar as diferenças:


Desde que o jogo FIFA passou para as consolas da nova geração, tem sido notória a evolução e sobretudo a vantagem que tem conseguido assegurar face ao PES da japonesa Konami.
A começar temos mais 1000 equipas licenciadas, distribuídas por 30 ligas oficiais, com especial destaque para a inclusão da liga Russa (não tenho a certeza mas acho que também estarão as ligas Grega e Argentina), o que dá mais de 15.000 jogadores oficiais e com um detalhe impressionante. Uma das grandes novidades é o Guarda-Redes que pode ser controlado pelo jogador, quer numa partida online de 11 contra 11, quer no modo Be a Pro (modo de jogo em que têm de chegar ao topo do futebol mundial com uma criação vossa). Se já é divertido e emocionante marcar golos, imaginem agora terem a possibilidade de defender um penalty decisivo ou fazer uma grande defesa no último minuto. Outra das novidades passa pelo facto da EA Sports ter fundido o Modo Treinador com o modo Be a Pro, ou seja, podem tanto gerir um clube ao longo de uma época com campeonato, taças e competições europeias, e ao mesmo tempo controlar a equipa ou o jogador criado por vocês. Dentro das 4 linhas, a grande novidade passa pelo que a editora apelidou de Personality, ou seja, vai haver uma diferença entre o passe do Bruno Alves e o do Xavi, ou das fintas do Ronaldo com as do Hulk, isto porque conseguem identificar certo tipo de jogador de acordo com aquilo que são ou não capazes de fazer (claro que estas diferenças de capacidade vão ser mais notórias em equipas das 2ª e 3ª divisões inglesas, por exemplo). Agora é mais difícil marcar golos, e o ritmo de jogo baixou consideravelmente, ou seja, FIFA é um retrato cada vez mais fiel do futebol moderno, onde a paciência e aproveitamento do erro do adversário são factores determinantes para decidir um jogo.


Pro Evolution Soccer 2011, mais conhecido por PES 2011, tem claramente um enfoque diferente. Quem não se importar muito com a táctica ou quiser jogar com amigos que nunca pegaram num comando, PES será a melhor solução. Em termos de apresentação o jogo está mais bem conseguido, dando a sensação que estamos a assistir a uma transmissão televisiva. Mas quando nos aproximamos do relvado, começam a denotar-se as diferenças que fazem com que, para mim, PES perca o desafio para FIFA. As caras não têm qualquer tipo de expressividade, mais parecem uma colagem em cima de uma cabeça. E apesar de os Guarda-Redes sofrerem menos golos, com meia dúzia de passes conseguem fazer uma jogada simples e normalmente perigosa. Isto quer dizer, que mesmo que o resultado seja magro, haverá muitas ocasiões de golo. Eu também não gostei muito de algumas animações como levantar uma bola de lés a lés, pressionando o círculo ao máximo. Do ponto de vista dos modos de jogo, a grande novidade passa pela introdução da Copa Libertadores, a “Liga dos Campeões” da América Latina, Liga Europa, Supertaça Europeia e Master League Online. Neste último modo, podem enfrentar jogadores de todo o mundo, com a equipa que construíram offline. Não sei se limitará a isto, mas parece-me que o mercado de transferências vai também alterar-se de acordo com a utilização dos vossos jogadores. Infelizmente continuará a haver poucas ligas, e as equipas novas foram introduzidas para dar vida à Copa Libertadores, Liga Europa e Liga dos Campeões. A equipa da Konami destacou 15 jogadores como sendo “estrelas”, ou seja, são jogadores que podem ser decisivos e contrabalançam qualquer partida (obviamente que Cristiano Ronaldo e Messi farão parte desse lote). Os comentários serão feitos pelo Pedro Sousa, conhecido jornalista da Sporttv e da Rádio Renascença que é destacado para os jogos das Ligas Internacionais, e de Luís Freitas Lobo, que nem precisa de qualquer referência, porque suponho que todos conhecerão. Tenho pena é que FIFA 11 não inclua qualquer estádio dos 3 grandes, ao que PES 2011 concretiza de forma perfeita.

Notícias
- Super Mario faz 25 anos. Para comemorar a ocasião a Nintendo vai lançar uma edição especial com os primeiros 4 jogos lançados para a NES, sendo eles, Super Mario Bros. Super Mario Bros. the Lost Levels, Super Mario Bros. 2 e Super Mario Bros. 3, tudo na mesma caixa, onde podem encontrar um CD de música e um DVD com a história do Super Mario. No entanto esta edição só tem previsão de lançamento em território japonês, não se sabendo se haverá a ocasião de vir para o Ocidente.

- "Top Spin 4 está a ser preparado para ser o jogo de ténis mais realista e entusiasmante desta franshise" disse Greg Thomas da 2K… A equipa de developers está empenhada em trazer para o mercado um jogo de ténis arrojado que permita aos jogadores experimentar em primeira mão o nível de realismo dos tenistas e dos estádios, bem como o áudio captado durante encontros de ténis reais e todo um vasto leque de controlos inovadores." acrescentou Greg Thomas. O jogo deverá sair em 2011.

- De acordo com o Eurogamer britânico, a Team Ico Collection está mesmo a caminho e deverá chegar à PlayStation3 em Março/Abril de 2011. Este jogo vai incluir os dois primeiros jogos da Team Ico, a saber ICO e Shadow of Colossus, dois dos melhores jogos da Playstation2. Estes jogos estão a ser reeditados para o formato Wide e também deverão suportar o 3D. Podem fazer download do vídeo aqui

- Está quase a sair o jogo Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 2, que relata os acontecimentos desde o início da série, até ao combate contra Pain, um dos membros mais fortes da organização Akatsuki. Quem tiver jogado o anterior ou mesmo os jogos da Playsation 2, não deverá estranhar as mecânicas. De referir que foi incluída uma personagem do Tekken, Lars Alexanderson, e Namikaze Minato (o 4º Hokage de Konoha) só está disponível para download, para quem tenha comprado a edição especial do jogo. A história apesar de ter algumas falhas, principalmente na forma como se resolveram determinadas secções, vai garantir-vos muitas horas de jogo e diversão (do meu ponto de vista o tema Dragon Ball já está um bocado esbatido, e portanto Naruto afigura-se como um potencial sucessor videojogável).

- O lançamento está agendado apenas para Outubro de 2011, mas Batman: Arkham City já tem dado muito que falar. A saber, a acção desenrola-se um ano após o acontecimento de Arkham Asylum, com o mayor Quincy Sharp a conseguir capturar grande parte da escumalha da cidade numa espécie de District 9 de Gotham. Uma das personagens novas é Two Faces, que deverá ter um papel importante na trama, anunciando publicamente que assassinará Catwoman. Não sabendo até que ponto Batman estará disposto a ir para salvá-la, a verdade é que visitará novamente a prisão. A grande novidade é que o espaço deixa de ser tão constrito, podendo explorar uma cidade de Gotham ainda mais negra. Batman disporá de novos gadgets e novas habilidades de luta (principalmente no que toca aos contra-ataques ou uso combinado de gadgets com golpes)

Vídeos e Reportagens

Devil May Cry 5, ou DMC 5 já está a ser produzido, e a Ninja Theory mostrou o 1º vídeo no Tokyo Game Show. Para dizer a verdade fiquei decepcionado com o que vi, não gostei mesmo nada desta nova roupagem que deram a Dante.


Ainda vai demorar muito tempo para sair, mas The Last Guardian promete ser um dos melhores jogos da Playstation 3. A interacção entre o rapazito e o bicho é fantástica. Incrível como provavelmente este jogo conseguirá superar os seus predecessores.


O sucessor de Okami vai certamente ser um dos grandes jogos da Nintendo DS nos próximos tempos.


Vídeo Valkyria Chronicles 3. Devo dizer que terminei o primeiro durante as férias, e mais do que o jogo em si, achei a história fantástica, com muitas reviravoltas e repleto de emoção. Quem gostar de estratégia, tem aqui um bom jogo para a PSP.


Vídeo muito divertido de Nuno Markl, para promover o novo periférico da Sony, que saiu no passado dia 15 de Setembro.


Podem ver aqui uma reportagem especial da Gameover sobre o Playstation Move

Antevisão do jogo Enslaved (com demo na PS3 e XBOX360) aqui

Reportagem muito interessante do site Gamespot sobre os Grandes Patriotas dos Videojogos
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Dom 13 Fev 2011 - 19:08

Ola a todos.
A época de exames só terminou na 5ª feira e para além disso tive uma série de problemas nos últimos meses, em particular o facto de ter perdido o histórico de notícias que vos queria partilhar.
Como já não escrevo há alguns meses (e desde já ficam aqui as minhas desculpas por esse facto), pensei mudar um pouco o conteúdo da crónica. Isto porque tenho constatado que sendo eu um jogador “normal”, nunca partilhei convosco algumas experiências que tenho tido. É esse o sentido que pretendo dar à minha crónica, onde falarei obviamente das grandes novidades (e serão muitas), deixar-vos-ei os links das críticas a determinado tipo de jogo que não conheça ou não esteja tão a par, e por fim duas adições: cada semana falarei sobre um tema em particular como por exemplo a dicotomia entre o Japão e a Europa ou Filmes de jogos e Jogos de Filmes; colocarei também vídeos de clássicos que marcaram a minha infância.

Feitas as apresentações, hoje falo-vos da Internet. Hoje em dia um FPS, um jogo de lutas ou de desporto que não tenha componente online como uma das características de base já é considerado uma grande falha. Há por isso inúmeras oportunidades para o jogador explorar quando joga Online, desde o facto de conhecer pessoas de qualquer parte do mundo, a hipótese de poder testar as capacidades ou mesmo conquistar determinado tipo de Trophy ou Achievement, quer se fale da PS3 ou da XBOX360/PC. No entanto as ameaças raramente são tidas em conta na maioria das análises, e é isso que vou aprofundar nesta crónica. Acreditem que a batotice é uma dimensão que preocupa muitas criadores de jogos.
Como uma partida de futebol se faz em dois tempos, uma coisa que me irrita particularmente quando jogo online são as desistências quando se está a golear ou ganhar com uma equipa de nível inferior. Digo isto porque sei que a esmagadora maioria dos jogadores são indivíduos que para além de pensarem que num jogo basta escolher as melhores equipas, carros ou lutadores para se ganhar, nunca tiveram que lidar na sua vida estudantil ou profissional com a derrota e com o insucesso. Jogam em Ultra Easy para chegar o mais depressa ao final, reunir os melhores, e só depois começam a jogar online. Já imaginaram se marcaram um golo bonito, fizeram um combate fixe ou mataram um monte de pessoal com “headshots” e não têm hipótese de gravar o acontecimento, só porque os adversários desistiram?
Infelizmente as penalizações são na maioria dos casos muito leves. No caso do FIFA 11 apenas se perdem 70 pontos (o equivalente a duas derrotas), e no final da partida fica registado um 3-0 (como se não tivesse comparecido ao jogo). Há outros casos como o Street Fighter ou Naruto Ultimate Ninja Storm 2, onde se regista o a percentagem de desistências no 1º caso, e no 2º ultrapassando um limite de 10, penso que o jogador seja expulso do lobby.

Outra coisa que não me agrada nada principalmente em jogos de luta, são as estratégias que os adversários arranjam para vencer sem quaisquer escrúpulos. Trata-se mais de uma questão pessoal, mas gosto de me divertir e passar um bom bocado na consola, de forma descomplexada, sem seguir determinados passos e critérios. Quando me deparo com estes indivíduos perco a paciência, porque sou um jogador honesto e gostaria de perder contra um humano e não contra uma máquina de uma fábrica de produção em série (não posso saltar porque levo o golpe X, tenho de defender o golpe Y porque senão perco o combate) O que mais me impressiona é que há gente que é capaz de perder horas a fio, só para aperfeiçoar determinada personagem, e isso para mim já nem é vício, é doença
Isto vem a propósito de uma campanha promovida pela Sony, que oferecia três cursos na GT Academy para os jogadores que obtivessem os tempos mais rápidos numa pista da versão promocional do jogo Gran Turismo 5. O concurso já pode ter sido posto em causa, por causa destes batoteiros que querem uma vitória fácil e nada meritória.


Uma sugestão, divirtam-se quando ligam a consola, mesmo que sejam humilhados, há sempre alguma coisa para aprender

Entretanto estão quase a chegar grandes jogos, e nesse sentido mostro-vos alguns Vídeos:

Marvel vs Capcom 3: Fate of the Two Worlds - o regresso de um dos jogos mais aguardados pelos jogadores. Conta já com uma enorme lista de personagens do universo Marvel e Capcom.


Num género onde a concorrência é fortíssima e mais voltada para experiências militares bem próximas da realidade, dia 22 de Fevereiro sairá Bulletstorm, um jogo que aposta na irreverência, tendo este sido concebido numa lógica chamada Skill Points, ou seja, quanto mais criativa e violenta for a morte, maior será a pontuação obtida. A produtora garante que o jogo vai surpreender.


No próximo mês, sairão mais dois grandes jogos, são eles a Homefront e Dragon Age II. O primeiro relata uma invasão algo polémica da Coreia do Norte nos EUA, durante o ano de 2027, que por essa altura estaria na posse de armamento nuclear altamente destrutivo. O segundo é a sequela melhor jogo do ano de 2009 de acordo com a maioria da crítica. Podem importar as decisões que tomaram em Dragon Age: Origins. Contudo apenas jogam com uma personagem, totalmente editável, de seu nome Hawke, o próximo campeão de Free Marches, local mencionado anteriormente mas só agora se encontra jogável.

Trailer do site Gametrailers.com de Homefront


Trailer do site IGN.com de Dragon Age 2




Foi sem dúvida um jogo que marcou a minha infância (foi o último jogo da Mega Drive que tive). Apesar de ser algo curto e difícil, a verdade é que foi um título que marcou pela originalidade, banda sonora e gráficos. Sketch Turner um desenhador de BD está a desenvolver a sua nova comic chamada Comix Zone. Esta conta a história da luta do Império do Novo Mundo contra a invasão de aliens. Numa noite de grande tempestade, um trovão atinge o painel da comic de Sketch. Em consequência disso o mutante e vilão da história, de seu nome Mortus, ganha vida própria e troca de lugar com Sketch. Agora o herói terá de lutar pela sua própria vida nas suas páginas de BD e com as dificuldades causadas por Mortus, que tem agora a capacidade para redesenhar a acção do livro.
Aqui fica o 3º nível do jogo
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Ter 22 Fev 2011 - 19:52

Olá a todos
Hoje em dia estão muito em voga as adaptações de jogos para Filmes. Mas como muitos de vocês devem ter constatado, a maioria deles fica aquém das expectativas. Em primeiro lugar eu penso que isso acontece porque cada um de nós idealiza um filme que suscite a mesma emoção que o jogo proporcionou, com uma boa construção de enredo e bom envolvimento das personagens; em segundo lugar é sempre difícil criar em 2 horas momentos equiparáveis aos que se jogam em mais de 10 horas (sendo que os jogos de aventura ultrapassam largamente as 30 horas de jogo; em terceiro lugar os realizadores falham ao interpretar mal a aventura, com uma escolha de elenco na maioria dos casos infeliz (Mark Whalberg já fez de Max Payne e agora fará de Nathan Drake em Uncharted) e também associado ao segundo problema, a necessidade de enquadrar o espectador que não conhece o jogo com a história (um pouco como os filmes de Super Heróis). Podia estar a enumerar outros problemas, mas penso que estes sinalizam bem a dificuldade destes filmes para agradar a todos os públicos. Ainda assim há boas adaptações como o caso de Prince of Persia que, apesar de não seguir à risca a história do jogo da PS2, tem momentos divertidos e agradáveis sequências de acção e aventura.

Os jogos de filmes têm evidenciado um conjunto de caractrísticas comuns. Como estão associados a filmes, há desde logo muita pressão para a produtora lançar o jogo exactamente ao mesmo tempo que a estreia do filme nas salas de cinema. É por isso evidente a fragilidade da maioria destes jogos, não só pelos desacertos no enredo, nos gráficos, jogabilidade e, no pior dos casos, no próprio conceito idealizado. A única coisa fiel ao filme são as vozes, emprestadas pelos actores que interpretam as respectivas personagens. Houve um jogo que cheguei a abordar numa das minhas crónicas que conseguiu o que nenhum tinha feito até então. Sendo eu fã do Spider-Man, há uma coisa que salta à vista em Spider-Man 2, a liberdade de movimentos. Apesar das tarefas serem muito repetitivas e a história ter pouca consistência, a verdade é que foi o único jogo que deu espaço ao super-herói para lançar as suas teias na grande cidade de Nova Iorque. Chegou a haver vezes em que ligava a Playstation apenas e só para vagear pela cidade, com saltos, quedas de arranha-céus e, claro, lançar teias para tudo quanto era sítio.

Eu introduzi este tema, porque estreou há alguns meses nas salas de cinema (não tantas como mereceria) um filme que se demarcou dos demais deste género. Falo-vos de Scott Pilgrim contra o Mundo. Scott Pilgrim é um baixista duma banda de garagem, chamada Sex Bob-omb, tem 22 anos e conheceu por mero acaso a rapariga dos seus sonhos, de seu nome Ramona Flowers. A única coisa que precisa de fazer para conquistar o seu coração é derrotar os setes maléficos ex's namorados (o número 7 é muito popular na animação japonesa – as 7 bolas de cristal do Dragon Ball, a equipa 7 do Naruto…). Até aqui poderão perguntar-se por que motivo falo deste filme, mas a verdade é que este respira videojogos em praticamente todos os momentos. O som do KO, a música das fadas de Legend of Zelda, as moedas de Super Mario são algumas das muitas alusões aos grandes sucessos dos últimos 30 anos de animação e jogos (quem tiver entre 15 a 30 anos vai-se identificar particularmente com estes elementos). São garantidamente duas horas bem passadas a ver a demanda de Scott pelo amor (uma boa forma de relembrar o dia dos Namorados).


Duke Nukem já entrou para a história, ao ser o jogo que mais tempo demorará a ser lançado. Em 2001, a 3D Realms anunciara que iria ser lançado, "quando estivesse terminado". Em Maio de 2009, após muitos atrasos na sua produção, a produtora entrou em falência, sobretudo com a já reduzida capacidade financeira, o que resultou na perda de toda a equipa de desenvolvimento do projecto. Entretanto este caso foi para os tribunais, e só em Setembro de 2010 foi anunciado, que Duke Nukem Forever estaria a ser desenvolvido pela Gearbox Software. O mundo ficou em polvorosa com o anúncio da 2k Games. O jogo sairá finalmente a 6 de Maio (muito pouco tempo, principalmente para quem espera há 14 anos).
Aqui fica o link

Aqui ficam três links de jogos Final Fantasy, com contextos totalmente distintos, mas que prometem fazer as delícias de quem é apreciador deste género:
Dissidia 012: Duodecim Final Fantasy - a sequela do bem sucedido jogo da PSP, que já conta com Vaan e Lightning, os protagonistas de Final Fantasy XII e XIII, respectivamente e com outras personagens relevantes como Tifa Lockhart, amiga de infância de Cloud Strife (Final Fantasy VII) ou Kain Highwind, amigo de infância de Cecil (Final Fantasy IV).

Final Fantasy Type-0 - lógica muito semelhante a Valkyria Chronicles, pois está prestes a deflagrar uma guerra aberta entre 4 nações, que protegem com as suas vidas o seu cristal, que lhes confere estatuto, poder e qualidade de vida. A guerra principia justamente quando uma das nações invade o continente de Rubrum, (onde vivem as personagens do jogo) para tirar o poder ao cristal.

Final Fantasy Versus XIII - Noctis Lucis Caelum é o último herdeiro de uma nação isolada, que transporta consigo o último cristal que os reis dessa nação conseguiram proteger. Este jogo, a par com Type-0 aborda temas semelhantes, embora me pareça que em tempos totalmente distintos. De qualquer forma tem gerado grande expectativa porque o projecto está a ser liderado por Tetsuya Nomura, director responsável por grandes sucessos como Final Fantasy VII ou Kingdom Hearts.

Aproveitando aquilo que foi referenciado na crónica "Tecnologicamente Falando", a a Nintendo anunciou o line-up de jogos a sair no dia do lançamento da consola Nintendo3DS. Sobre este assunto queria apenas acrescentar que os jogos Kid Icarus e o remake de Legend of Zelda: Ocarina of Time (para mim o melhor jogo de sempre das consolas, e um dos motivos pelos quais eu gosto da personagem Link, que referenciarei na próxima crónica) não constam da lista; para além disso convém alertar-vos para o facto das versões antigas da DS não suportarem a disquete de jogo 3DS (ainda que esteja desactivado o modo 3D que, como é sabido, tem sido amplamente discutido pelas autoridades de saúde, que alertam para o facto deste efeito poder causar lesões graves de visão, sobretudo em idades precoces.
Fica aqui neste link uma reportagem especial, do site Gameover sobre a Consola que mais uma voz coloca a Nintendo na ribalta da tecnologia.

O jogo retro que vos mostro hoje é Revenge of Shinobi. Certamente muita gente teve oportunidade de experimentá-lo, mas serão poucos aqueles que o terão terminado (não se preocupem, eu não sou um desses). Apesar da extrema dificuldade do jogo, e do facto da personagem não levar consigo uma katana, ou seja, este recorre na maioria dos casos a shurikens, o jogo foi marcante pela qualidade gráfica e por ser, a par com Golden Axe, um dos primeiros jogos das consolas de 16-bits com o intuito de eliminar um sem-número de inimigos a 2 dimensões. Quantas vezes hão-de ter pensado, "dava-me jeito ter um golpe especial, para passar esta parte".
Já que vos falei de Spider-Man, aqui fica o combate contra o Shinobi
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Ter 8 Mar 2011 - 18:39

Olá a todos
Nesta edição vou falar-vos sobre um assunto que na minha óptica tem tido cada vez mais relevância. Hoje em dia o preço é um dos critérios mais importantes quando se quer adquirir um determinado tipo de jogo. Como em tudo na vida, aqui também há excepções. Vejam o caso de Call of Duty: Black Ops, o jogo que mais vendeu no 1º dia após o seu lançamento, vendendo um total de 5 milhões e 600 mil unidades combinando os mercados Americano e Britânico (suplantando a fasquia de Modern Warfare 2), e obtendo receitas a rondar os 257 milhões de euros. Por que motivo vos falo deste jogo? É que este jogo tem um modo singleplayer que dura aproximadamente 10 horas, mas tem um modo multiplayer viciante e que se prolonga por várias horas (pelo menos é o que as pessoas dizem), e custa 70 euros.

O exemplo que queria mostrar para dar conta desta questão dos critérios para comprar um jogo, passava por fazer um paralelismo entre os jogos Uncharted 1 e 2. Por um lado a 1ª incursão de Uncharted, apesar de não ser tão refinada tecnicamente, tem uma história consistente e divertida, que prende o jogador até ao final, para além de nos mostrar cenários variados e coloridos e personagens com carisma.

O 2º jogo de Uncharted, de sobrenome Among Thieves (Em Espanha chamaram-lhe El Reino de los Ladrones), consolida claramente as bases criadas por Drake’s Fortune, não só criando um dos jogos mais cativantes da PS3, como oferecendo-nos uma experiência cinematográfica, com muitas explosões, surpresas e adrenalina (e ao contrário do típico herói de cinema, Drake habitualmente tem azar). A questão é que a história não está tão bem conseguida como o seu antecessor e o jogo aposta demasiado num cenário cansativo para o jogador (a neve perdura durante 10 níveis). De qualquer modo o modo multiplayer catapultou o jogo para uma dimensão nova, com a possibilidade de jogar contra ou com pessoas de qualquer parte do mundo.

Tenho constatado que as sequelas de jogos que foram bem sucedidos têm perdido bastante a nível do argumento, principalmente nos géneros de acção e aventura ou Shooters na Primeira Pessoa. Como as pessoas procuram experiências mais curtas de jogo, o envolvimento tem de ser baseado noutros critérios que não a história. Quase parece inevitável dizer que “cada macaco no seu galho”, ou seja quem quiser jogar durante largas horas de jogo, compra um jogo ao estilo GTA ou um Role Playing Game. E é curioso constatar que GTA é um jogo com uma duração teoricamente infinita (jogar missões, matar pessoas, fugir da polícia, espatifar o carro, tentar saltos, jogar bilhar, morrer…), ou seja, as possibilidades são tantas que o preço quase se torna irrisório quando o jogo é utilizado no máximo das suas capacidades.


The Legend of Zelda celebra 25 anos de existência, estando previstos para este ano 2 lançamentos importantes: são eles Skyward Sword (vídeo aqui) para a Wii e Ocarina of Time para a Nintendo 3DS (vídeo aqui). Desde o seu lançamento já foram vendidas 59 milhões de cópias.
Numa declaração recente Shigeru Miyamoto, criador de jogos sobejamente conhecidos como Mario ou Donkey Kong, disse não estar à espera da resposta recebida quando fez The Legend of Zelda. “Um mundo de espadas e magia não era vulgar na altura…era bastante simples. Não pensava que aquele género fosse para toda a gente." Realce-se ainda o facto de ter sido o primeiro criador desta a indústria a receber uma nomeação para o Prémio Príncipe das Astúrias.
O jogo consiste numa mistura de acção, resolução de puzzles, combate em tempo real e exploração. Começam sempre com 3 corações vida, e na generalidade dos casos o objectivo passava por salvar a Princesa Zelda de Hyrule das garras do Malvado Ganon. Normalmente há 7 masmorras para explorar (mais uma vez o número tem um significado particular na série) e começam sempre com 3 corações de vida (quem explorar o jogo ao máximo pode ficar com uma energia máxima de 16 corações, e a espada com poderes amplificados). Os jogos que mais me marcaram foram o Ocarina of Time para a Nintendo 64, a saga Oracle of Ages e Seasons para o Gameboy Color, já que se desenvolviam de forma independente, mas só se conseguia alcançar o verdadeiro fim do jogo se tivessem jogado ambos os títulos; e Link’s Awakening, que na versão portátil saiu também para o Gameboy.


Uma das grandes diferenças que salta à vista, face ao seu antecessor, é a lista de jogadoras oficiais, que contará com Ana Ivanovic, Caroline Wozniacki e Serena Williams. No campo masculino haverá Novak Djokovic e Stanislas Wawrinka como principais destaques, e os americanos Pete Sampras e Andre Agassi no lote de jogaroes Outra das novidades prende-se com a própria envolvência do jogo, não só na forma como os adeptos reagem a determinado tipo de lances (aqui o som ambiente está muito bem reproduzido), mas também nos momentos que antecedem os jogos, desde os corredores até à entrada no court. O modo carreira tem como principal novidade a inclusão de treinadores, que assumem o papel de amplificar as vossas capacidades ou trabalhar alguma fragilidade que tenham. A jogabilidade foi melhorada, os movimentos e golpes das estrelas do ténis estão fieis à realidade. Como joguei e cheguei ao fim do modo carreira de Top Spin 3, não tive qualquer problema em jogar a demo, embora as partidas me tenham parecido mais desafiantes (jogando em Hard, claro). Agora há de facto um esforço para atrair adeptos de ténis a este jogo difícil de manusear e dominar (contrariamente a Virtua Tennis com um estilo claramente mais arcada, com poucos botões e mais adaptado para jogos entre amigos). Para evitar alguma frustração dos jogadores mais impacientes, surge um sinal na cabeça do jogador, indicando quando se está a dar golpes cedo/tarde demais ou golpes certeiros. O jogo chegará às lojas no próximo dia 18 de Março.
Fica aqui um vídeo com o sempre desejado duelo entre Roger Federer e Rafael Nadal


O jogo do baú volta a ser da Mega Drive e vai ao encontro daquilo que falei antes. Uma das grandes referências nos jogos de desporto, ATP Tour tinha uma campanha que se tornava extremamente complicada há medida que prosseguiam nos torneios. A jogabilidade e os sons são nostálgicos e a lista de jogadores era já na altura consideravelmente grande.


Alguns Links:
- Reportagem do site Gameover sobre a nova Consola da Nintendo aqui
- Análises ao Jogo Killzone 3 nos sites do My Games, Gameover e Gamespot. Eu tive a oportunidade de ver a demo em 3D e posso garantir-vos que os gráficos são fantásticos, um autêntico deleite visual. Parece-me que a experiência de jogo fica enriquecida com este tipo de tecnologia.
- Análises ao jogo Dead Space 2 nos sites da Gameover, My Games e Gamespot. Os adeptos de survival horrors à antiga (como os primeiros Resident Evil ou Silent Hill) certamente regozijarão com este jogo, que promete uma experiência intensa (vão ficar várias vezes com o coração acelerado) e terrorífica.
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por SMG em Qua 22 Jun 2011 - 14:26

Olá Sazuky

Ainda não vi nenhuma resposta às tuas crónicas, logo nem sei se pode responder lol. Espero que sim, aqui vai!

Gostava que me desses algumas boas razões para começar a jogar a saga Prince of Persia, se possível. Já andei a ver um vídeo de gameplay e agrada-me bastante. No entanto, fico sempre de pé atrás, até porque a minha última experiência, com o Assassin's Creed, foi negativa.

E, já agora, já tens opoinião formada em relação ao Infamous, quer seja o 1 ou 2? Leio muitas criticas negativas...:s
avatar
SMG
Membro

Mensagens : 2173
Data de inscrição : 11/03/2010
Localização : Sunnydale

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Sazuky em Dom 26 Jun 2011 - 17:58

Se te referes à saga do Prince of Persia, Sands of Time, Warrior Within e Two Thrones, as boas razões que posso dar são a jogabilidade, quer nas plataformas, quer na luta; o facto de puderes recuar no tempo é mesmo espectacular; boa banda sonora e apesar de tudo tens uma boa história (repara que o sucesso foi tal que mereceu uma adaptação para cinema).
O melhor dos 3 para mim é Warrior Within, principalmente devido à sua longevidade e imprevisibilidade; o 1º é claramente o mais "árabe", faz lembrar um pouco o Aladino; curiosamente lembro-me pouco do 3º, talvez porque a fórmula estivesse um pouco desgastada.

Em relação à tua última questão, sim tenho. Com este ataque que houve à Playstation, um dos jogos que saquei foi o InFamous (o título é muito sugestivo) e posso dizer-te que vale mesmo a pena jogá-lo. Apresenta vários condimentos que dão muita credibilidade: a jogabilidade é fantástica, a personagem tem um leque de poderes eléctricos impressionante, e é muito fácil deambular na cidade, ou seja, podes usar postes, janelas, carris, cabos de electricidade com uma dinâmica e eficiência assinaláveis; a história é muito interessante e podes enveredar pelo caminho da bondade ou pela malvadez pura e dura, a escolha é inteiramente tua. Relativamente ao 1º, o cenário é única coisa que pode maçar ao longo das horas (a cidade inspirada em Nova Iorque é demasiado cinzenta, e eu sei o que digo, a minha Faculdade era muito gira das 1ªs vezes que lá entrava, mas agora tem um ar deprimente).
As decisões que tomas no 2º jogo, ao que sei, não têm um impacto tão forte como no 1º InFamous, embora registe-se uma jogabilidade ainda mais dinâmica, pautada com combates corpo-a-corpo mais precisos e novos poderes elementares como o controlo do Fogo e do Gelo. Além disso a nova cidade tem cores muito mais quentes e vibrantes.

Espero poder ter ajudado Wink. Deixo mais uma vez o repto, se quiserem tirar dúvidas é só escrever aqui, que tentarei ajudar na medida das minhas possibilidades. De momento é-me muito difícil escrever as crónicas, principalmente por causa dos exigentes exames que tenho tido. Peço desculpa por isso.
avatar
Sazuky
Membro

Mensagens : 104
Data de inscrição : 05/03/2010
Idade : 30
Localização : Porto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por SMG em Seg 27 Jun 2011 - 15:42

Obrigado Sazuky:) Sempre dá mais jeito ouvir outra opinião antes de comprar...

Agora anseio mesmo pelo Uncharted 3 que só chega em Novembro e pelo reboot de Tomb Raider, que para meu espanto só está cá fora no Outono de 2012:s
avatar
SMG
Membro

Mensagens : 2173
Data de inscrição : 11/03/2010
Localização : Sunnydale

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por SMG em Seg 19 Set 2011 - 23:04

Bem, já joguei Infamous 1 e gostei muito! Tem partes bem complicadas!
Já joguei Prince of Persia 1 e gostei também. Agora vou a meio do 2!

O infamou 2 ainda está carote. Vou esperar mais um tempinho...
avatar
SMG
Membro

Mensagens : 2173
Data de inscrição : 11/03/2010
Localização : Sunnydale

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Crónica] Videojogos - Por Sazuky

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum